Detalhes da notícia

 
1. Cidade Bem Tratada -  A promotora atua na Promotoria Especializada do Meio Ambiente de POA desde 1999. Que leitura faria da situação atual do Ministério do Meio Ambiente, no tocante as polêmicas mudanças que vem fazendo e que afetam diretamente o meio ambiente brasileiro? 
Dra Ana Maria - A situação é bastante preocupante pois há uma retaliação aberta em relação às políticas de preservação ambiental. O meio ambiente parece ser visto como o inimigo número 1 do progresso. Os retrocessos vão desde o recuo do Brasil em relação às políticas para amenizar as mudanças climáticas, até alterações na estrutura dos órgãos ambientais com o escopo de enfraquecer atuação preventiva e fiscalização. A recente tentativa de descredenciar os relatórios do INPE é um dos terríveis sintomas desse processo. 
 
2. Cidade Bem Tratada - O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) possui desde 2014 o Programa Segurança Alimentar RS. Como avalia a questão da validação de 169 novos registros de defensivos agrícolas feita pelo liberação de mais Ministério da Agricultura (maior em 14 anos) no tocante as divergentes reações entre ruralistas e ambientalistas? 
Dra Ana Maria - Esse fato é um outro sintoma do progresso a qualquer preço e da total imponência do Ministério da Agricultura em relação a do Meio Ambiente e à ANVISA. A visão é tão obtusa que parece que nós, humanos, não estamos inseridos no meio ambiente e não somos totalmente dependentes de seus processos ecológicos essenciais e dos serviços prestados pela natureza. A natureza parece estar longe da nossa vida. Não há sequer uma política clara para conservação do solo agrícola, principal insumo para a produção. 
 
3. Cidade Bem Tratada - O Ministério Público defende os interesses sociais e individuais indisponíveis, além de zelar pela correta aplicação das leis e pela garantia do Estado Democrático de Direito. Infelizmente, muitas empresas como por exemplo a Mineradora Vale, acabam violando a legislação e cometendo crimes ambientais e humanos de larga escala. Como acha que a curto/médio prazo seria possível mudar este cenário (modus operandi) em empresas deste porte? 
Dra Ana Maria - Em primeiro lugar, deveria haver um pacto nacional em prol do meio ambiente. Uma aceitação de que nossa Casa Planetária é uma só e que tem seus limites a serem respeitados. Isso precisa de muita educação ambiental e ações de fiscalização e prevenção. Precisamos também de uma justiça mais célere e especializada para julgar essas demandas complexas, multifacetárias relativas à área ambiental. 
 
4. Cidade Bem Tratada  - Como avalia espaços democráticos de debate como o oportunizado pelo Seminário Cidade Bem Tratada para abordar o tema proposto: ‘O papel do Direito na preservação ambiental’? 
Dra Ana Maria - De extrema importância e relacionados à educação e informação ambiental. 
 
5. Cidade Bem Tratada - Espaço livre para abordar algo que acredite ser pertinente e que esteja relacionado ao Seminário Cidade Bem Tratada. 
Dra Ana Maria - Importante que a comunidade se dê conta de que o saneamento é vida e qualidade de vida. A limpeza, o cuidado com a cidade repercute no nosso humor, na saúde, na economia e gera felicidade individual e coletiva.