Notícias

A convidada leva ao seminário o contexto de implementação do acordo setorial de embalagens em geral

 

A promotora de Justiça da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre, Annelise Monteiro Steigleder, abre o primeiro painel do Seminário Cidade Bem Tratada, no dia 11 de junho, falando sobre como está o andamento da implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Parceira do evento em outras edições, ela volta cada vez mais preparada, agora trazendo novos conhecimentos como doutoranda em Planejamento Urbano e Regional no PROPUR – UFRGS, mostrando sua reconhecida característica, de alguém que é incansável na busca de respostas e soluções e ainda abre a apertada agenda para dividir conhecimento.

“Pretendo levar ao seminário o contexto de implementação do acordo setorial de embalagens em geral, discorrendo, portanto, sobre a logística reversa dos resíduos sujeitos à responsabilidade pós-consumo”, comenta.

Mestre em Direito pela Universidade Federal do Paraná, Annelise chegou a se formar em Publicidade na PUCRS, sem nunca ter atuado na profissão, mas trazendo dela a ideia cerne de difundir publicamente ideias, conceitos e serviços. E o seu é o de proteger a comunidade por meio da prática judicial.

Atuando com Direito Ambiental desde 1998, vem explorando as potencialidades do termo de ajustamento de conduta, onde desenvolveu a capacidade de ouvir o outro com vistas a uma solução consensual.

A promotoratambém leciona na Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP), do curso de Especialização em Direito Urbanístico e Ambiental da Fundação Escola Superior do Ministério Público, da Especialização em Direito Ambiental da UFRGS, da Especialização em Direito Público e do Curso de Especialização em Direito Empresarial da PUCRS, além de professora visitante de diversas instituições de nível superior.

Sobre o Cidade Bem Tratada, ela comenta: “Vejo o Seminário como um evento já consagrado no calendário ambiental de Porto Alegre, extremamente importante para o debate sobre a evolução das políticas públicas relacionadas à gestão de resíduos sólidos. Possui um caráter democrático e informativo, permitindo a ampla troca de informações e diálogo com a sociedade em temas muito relevantes para o desenvolvimento sustentável”.