Notícias

Palestrante do Cidade Bem Tratada, especialista defende inclusão da água no planejamento das cidades por meio do que chama de hidroética

 

Um novo modo de olhar a água, não centrado na técnica, mas no ecossistema. Assim é a definição de hidroética, termo que surgiu quando o engenheiro, professor e presidente da Comissão de Ética do Conselho Nacional de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Demétrios Christofidis, escrevia as considerações finais do capítulo de um livro. Ele, que trabalha com o tema desde os 17 anos, entendeu que, para tratar bem as cidades, é fundamental adotar uma abordagem transdisciplinar.

No Seminário Cidade Bem Tratada, Christofidis dividirá sua experiência como coordenador do Programa de Recuperação e Preservação de Rios Urbanos, que desenvolve no Ministério. As diretrizes e conteúdos da iniciativa serão tema no painel "A Situação das Águas: novos conceitos de drenagem, tratamento e aproveitamento de efluentes", marcado para o dia 12 de junho.

Porém, antes do painel, ele inaugura o “momento de reflexão e inspiração” trazendo conceitos que está discutindo e desenvolvendo com outros pesquisadores. “Hidroética é um modo de perceber a água além da forma tradicional. É um conceito provisório, não permanente. Significa tratar bem a cidade, as pessoas, cuidar do corpo físico, emocional, espiritual. É fazer um hidroaproveitamento, hidrocooperação, hidroencantamento, hidroapreciação, e não ser hidroreducionista, hidroestagnado, não atuar no hidrofragmento da água”, define.  

Planejar as cidades olhando as características hidrológicas. Esse seria o mundo ideal, na visão do especialista. Ele sugere que, ao desenhar um projeto, o arquiteto, urbanista ou engenheiro ande pela cidade e trabalhe centrado na água e seu curso natural.

“É ela quem vai estabelecer certas dinâmicas. Por isso, deve ser levada em conta na hora das construções. Qual a influência hídrica de uma região? Está na hora de começarmos a ter cidades pensadas de forma sensível à água”, afirma.

Para Christofidis, é impossível abordar os rios urbanos sem falar de planejamento, desenvolvimento e bacia hidrográfica. Segundo o especialista, o que o programa do MMA propõe é um olhar transdisciplinar, por meio do qual se pretende “mudar a cabeça das pessoas” e buscar a renaturalização das cidades. Significa adotar "um andar consciente, ético e constante em relação à água, com o foco centrado em mobilização e sensibilização".

Demétrios Christofidis integra o time de palestrantes do Cidade Bem Tratada.

Saiba mais:
O que: 7º Seminário Cidade Bem Tratada
Quando: 11 e 12 de junho de 2018
Onde: Auditório do Ministério Público | Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, 80 | Porto Alegre | RS
Informações e inscrições gratuitas: www.cidadebemtratada.com.br
Facebook: @cidadebemtratada2018
Instagram: @cidadebemtratada

Temas que compõem a programação:
• Como está a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos.
• A Situação das Águas: novos conceitos de drenagem, tratamento e aproveitamento de efluentes.
• Energias Renováveis.